Página Inicial Rede UE Norte Cisrun Samu Macro Norte Sala de Imprensa Contato Webmail
16/02/2012 15h02
SAMU do Norte de Minas participa da Olimpíada Brasileira de APH
SAMU_-Olimpiada-Brasileira-de-APH01_thumb
Equipe formada por médico, enfermeiro, técnicos de enfermagem e condutores-socorristas representará o SAMU-192 Macronorte na 1ª Olimpíada Brasileira de Atendimento Pré-Hospitalar, realizada nos dias 10 e 11 de agosto, no Expo Center Norte, na cidade de São Paulo. A Olimpíada Brasileira de APH tem a proposta de avaliar tecnicamente a atuação de equipes de atendimento pré-hospitalar e reúne equipes de APH do SAMU, Bombeiros e serviço privado de todo o país.
 
A olimpíada acontecerá paralelamente à Expo Emergência e ao 3º Seminário Nacional de Atendimento Pré-Hospitalar e de Resgate de Acidentados (APH 2011), que também serão realizados no Expo Center Norte. Promovida pela Proteção Publicações e Eventos, através da Revista Emergência, com apoio de diversas instituições ligadas ao sistema de APH brasileiro, a olimpíada visa promover a integração, além de servir como avaliação e qualificação dos profissionais que atuam no atendimento às emergências no Brasil.
 
 
 
O cardiologista Antônio Jose Marinho Cedrim, que integra a equipe do SAMU Macronorte, diz que, mais do que uma competição, a olimpíada representa uma oportunidade de conhecer como está o trabalho das equipes de APH do país. “Em todo o país, o atendimento pré-hospitalar segue as normas brasileiras existentes, além dos protocolos internacionais reconhecidos no Brasil, ou seja, trabalhamos de forma padronizada. Mas cada região tem suas especificidades às quais as equipes têm que se ajustar para uma maior eficácia do serviço. No Norte de Minas, por exemplo, diferentemente das outras regiões do país, trabalhamos de forma regionalizada, integrando 86 municípios sob um único comando. O protocolo de atendimento é padrão, mas a organização gerencial do serviço é diferente das demais regiões. Esse é um diferencial do nosso SAMU que iremos compartilhar com as outras equipes participantes”, observa Cedrim.
 
Em virtude da diversidade da programação que acontecerá paralelamente à olimpíada, Cedrim ressalta que além da troca de experiências, os profissionais terão a oportunidade conhecer os produtos e serviços disponíveis no mercado e ter contato com o que há de mais atual na sua área. “A área da saúde avança a passos largos e é preciso buscar sempre a atualização para acompanhar sua evolução”, observa.
 
COMPETIÇÃO
 
 
 
As equipes participantes serão divididas nas categorias APH do SAMU, APH dos Bombeiros e APH Privado, com disputa em quatro modalidades: atendimento básico, atendimento avançado, campeonato de RCP e prova de condução de viatura. As equipes serão avaliadas e premiadas como reconhecimento pelo bom desempenho.
 
O condutor-socorrista Antônio Osmar Gusmão, que também é instrutor do Núcleo de Educação Permanente (NEP) e irá representar o SAMU do Norte de Minas na competição, diz que a olimpíada é uma oportunidade para troca de experiências e qualificação. “O contato com profissionais de outras regiões possibilitará conhecer o desempenho de cada equipe o que certamente motivará uma autoavaliação e revisão de conceitos. Isso é importante e necessário, principalmente com a implantação de rede nacional de atenção às urgências e emergências pelo Ministério da Saúde, que exigirá que os profissionais trabalhem cada vez mais integrados e de forma padronizada. A olimpíada representa uma boa oportunidade para avaliar o desempenho dos profissionais que atuam no serviço de atendimento pré-hospitalar no país”, analisa o instrutor.
 
Além do médico Antônio Cedrim e do condutor Antônio Osmar, também integram a equipe do SAMU Macronorte o enfermeiro Alisson Miranda Dourado, o técnicos de enfermagem Arlen Divino Ferreira da Silva e Manoel Jean Dias, e o condutor Ildefonso Jose Leite.
 
Autor: Jerúsia Arruda


Lida vezes.
Mais Notícias