Já está tudo pronto para o Suporte Aéreo Avançado de Vida – SAAV começar a funcionar na área de atuação do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas (Cisrun)/SAMU Macro Norte. Desde o início do mês de março, o Cisrun vem realizando reuniões com o Batalhão de Operações Aéreas (BOA) do Corpo de Bombeiros para a implantação do novo serviço aeromédico que atenderá o Norte de Minas.

A base para receber o helicóptero adquirido pela Secretaria de Estado de Saúde do Governo de Minas Gerais funcionará em uma área integrada cedida pela Polícia Militar no Aeroporto Mário Ribeiro. O local passou por reformas para se adequar às normas exigidas pelo Ministério da Saúde e já recebeu móveis, equipamentos eletrônicos e o sistema para a regulação dos chamados.

Dois militares do Corpo de Bombeiros que pilotarão a aeronave chegaram de Belo Horizonte para compor a equipe há cerca de 40 dias. O helicóptero atenderá os casos de urgência e emergência que demandarem necessidade de equipe médica em locais de difícil acesso, acidentes em Rodovias, assim como transporte de órgãos e tecidos e transferências inter-hospitalar. O serviço será acionado através do telefone 192 e 193 e os casos serão regulados pela equipe médica do SAMU Macro Norte, que indicarão a necessidade do atendimento em conformidade com os pedidos da população. A nova ferramenta trará agilidade aos serviços de urgência e emergência realizando o resgate de vítimas em áreas remotas e a transferência de pacientes.

A expectativa é de que em maio o transporte aéreo já esteja em funcionamento. “A unidade aérea reduzirá o tempo de resposta dos atendimentos à população com segurança e eficácia” pontua a diretora executiva do Cisrun, Kely Cristina de Moura Lacerda. Já o presidente do Consórcio, Silvanei Batista, destacou que a aeronave será um reforço importante para o serviço e decisivo no salvamento de vidas.

 

Como vai funcionar

O funcionamento do aeromedico leva em consideração o Decreto nº 5.055, de 27 de abril de 2004, que institui o SAMU, em municípios e regiões do território nacional; a Portaria n° 1.010/GM/MS, de 21 de maio de 2012, que redefine as diretrizes para a implantação do serviço e sua Central de Regulação das Urgências; a Portaria nº 804/SAS/MS, de 28 de novembro de 2011, que estabelece a necessidade de identificar no Sistema de Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (SCNES) as Centrais de Regulação Médica das Urgências e as equipes de atendimento do atendimento aéreo; e a Portaria do Ministério da Saúde nº 356, de 8 de abril de 2013, que redefiniu o SCNES.

O aeromédico obedece às regulamentações da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), no que se refere à composição mínima da equipe e que deve ser formada por médico, enfermeiro e tripulação de voo. A equipe do aeromédico também segue os protocolos de PE1, PE2 e PE3, que tratam dos aspectos gerais de segurança da cena, regras gerais de biossegurança e práticas para segurança do paciente.

 

Por Jane Felix
Assessora de Comunicação
SAMU Macro Norte
Contato: (38) 9 9944-0311
ascom@cisrun.saude.mg.gov.br

Deixe uma resposta