Estudo do Departamento de Treinamento e Pesquisa em Reanimação do Instituto do Coração de São Paulo (Incor) mostram que mais 160 mil pessoas morrem, por ano, no Brasil, por parada cardiorrespiratória. A pesquisa também mostra que, para cada minuto sem as manobras de reanimação cardiopulmonar e desfibrilação, as chances de sobrevivência da vítima diminuem de 7 a 10%.

Para se ter uma ideia, apenas em 2017, as equipes do SAMU Macro Norte realizaram 1.063 atendimentos de casos onde as vítimas se encontravam em parada cardiorrespiratória, o que equivale a quase três atendimentos por dia. Em 2018, os números desse tipo de ocorrência continuam elevados: foram 603, entre janeiro e julho.

Tendo em vista isto, o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas (Cisrun)/SAMU Macro Norte realizará a terceira edição do Dia Nacional da Reanimação Cardiopulmonar, no próximo sábado, das 10 às 20 horas, em frente as lojas Americanas, no Montes Claros Shopping. Segundo o coordenador do Núcleo de Educação Permanente, Ubiratam Lopes Correia, “o evento, que já capacitou cerca de duas mil, pessoas tem como objetivo ensinar a população a identificar uma parada cardiorrespiratório, pois ações rápidas e precisas, logo após o incidente, são determinantes para a sobrevivência da pessoa”.

A ação será composta por um circuito com etapas onde as pessoas irão receber orientações para identificar uma vítima com parada cardiorrespiratória; realizar a massagem cardíaca, que consiste em fazer compressões rítmicas e seriadas com o objetivo de garantir a oxigenação dos órgãos; o uso correto do desfibrilador, que é capaz de reverter a fibrilação ventricular; a desobstrução das vias aéreas, quando os presentes irão aprender como se portar quando uma criança estiver engasgada; e a estação especial para os pais e crianças com intuito de alertá-los sobre os acidentes domésticos com utensílios domésticos, como fogão e geladeira, por exemplo, para mostrar os riscos que eles podem oferecer.

“Isso é educação em saúde! Além de prestar serviço de urgência e emergência, o SAMU ainda tem um papel importante na sociedade que é capacitar a população para saber agir em situações em que a intervenção, antes da chegada da equipe especializada, é fundamental para salvar uma vida”, diz a diretora executiva do Cisrun, Kely Cristina de Moura Lacerda. O presidente do Consórcio, Silvanei Batista, destaca que as pessoas não podem perder essa chance de se capacitar para ajudar o próximo, que pode ser um familiar como um filho ou um pai, e lembra que a atividade é gratuita e aberta ao público em geral.

Deixe uma resposta