A nova coordenação médica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU Macro Norte, que é gerido pelo Consórcio Intermunicipal da Rede de Urgência do Norte de Minas (Cisrun), foi apresentada pela diretora executiva, Kely Cristina de Moura Lacerda durante reunião no auditório do Complexo Regulador, na manhã desta segunda-feira (06).

A médica Lílian Christianne Brito assumiu o posto de coordenadora médica do SAMU Macro Norte e o médico Antônio José Marinho Cedrim, assessor técnico. Assim, a ideia tem como intuito proporcionar uma postura mais dinâmica no serviço prestado a 86 municípios e que chega a alcançar cerca de 1,6 milhão de pessoas no Norte de Minas. É pertinente lembrar que o SAMU Macro Norte tem 36 bases descentralizadas e cerca de 800 funcionários entre médicos, enfermeiros, condutores socorristas e equipe do setor administrativo.

Entre as atribuições da coordenação médica estão aquelas relacionadas à regulação médica das urgências e emergências que, em outras palavras, é a análise de cada solicitação de atendimento e a determinação das prioridades, além da escolha de qual instituição hospitalar receberá a vítima. A confecção e o cumprimento dos protocolos relacionados ao pré-atendimento telefônico à população também é competência da coordenação médica. “Quero agradecer a diretora-executiva Kely e ao presidente Silvanei pelo convite, e estou ciente da responsabilidade que assumi e quero fazer um trabalho com muita serenidade, parceria e união”, disse Lílian.

Antônio Cedrim, por sua vez, terá a incumbência de elaborar e ministrar treinamentos para os funcionários do SAMU para atendimento de acidentes com múltiplas vítimas, como catástrofes, por exemplo, e trabalhar diretamente com coordenação médica e diretoria executiva, por exemplo. “A tragédia que aconteceu em Janaúba deixou todo mundo marcado e esse acontecimento nos fez pensar em outras possibilidades de fazer ajustes dentro do nosso serviço. Foi quando vimos a necessidade de criação de uma função para conseguir ainda mais qualidade para o serviço prestado aqui no Norte de Minas”, explicou a diretora executiva.

“Quero agradecer a cada um que passou pela instituição e deixou sua colaboração, nós de certa forma também vamos deixar a nossa”, frisou Cedrim. “Vamos procurar fazer na dimensão de cada um, dentro da sua responsabilidade, o melhor trabalho possível e que possamos caminhar juntos, todas as coordenações, na intenção de monitorar principalmente o nosso operacional”, acrescentou o médico.

Ainda durante sua fala, Kely agradeceu o médico Daniel Silva Ramos e destacou o trabalho desempenhado por dois anos no cargo e também da importância do médico Romildo D’angelis que foi referência técnica no período de transição do cargo. “Como toda empresa precisamos fazer ajustes e isso aconteceu de uma forma natural, pois o Cisrun é como uma empresa qualquer, até mais importante talvez, em razão do trabalho porque lidamos com a vida das pessoas”, afirma. “Nós somos uma rede, e essa rede tem que estar muito bem alinhada e muito bem entrosada para que acontecimentos não cause desestímulos a nossa equipe”, finalizou Kely Cristina.

O presidente do Cisrun, Silvanei Batista dos Santos, lembrou que ajustes são necessários para que a entidade possa desenvolver seu trabalho à população da melhor maneira possível. “O trabalho do SAMU é referência nacional e devemos nos adequar tanto nos procedimentos de atendimento como na estrutura do órgão para continuarmos assim”, concluiu. Durante a reunião o coordenador do Núcleo de Educação Permanente do SAMU, Ubiratam Lopes Correia, também apresentou o cronograma de Re-certificação para o ano de 2018 que tem como objetivo o nivelamento técnico dos profissionais, bem como aprimorar a segurança e qualidade na assistência prestada aos usuários.

Deixe uma resposta