A crise, ao mesmo tempo, é um período de desequilíbrio e uma oportunidade de crescimento. Assim, a pandemia de Covid-19 está fazendo com que os profissionais da saúde se superem no atendimento de vítimas desta doença, que já matou mais de 200 mil pessoas no mundo, ao mesmo tempo em que novas ferramentas são criadas.


Neste momento, profissionais do SAMU Macro Norte em parceria com especialistas em engenharia biomédica, clínica e mecânica, além de biólogo e enfermeiro estão trabalhando em um protótipo de cápsula de isolamento para transporte de pacientes de coronavírus.


O equipamento consiste em uma estrutura que se acopla à maca e que é composta por uma espécie de grade de alumínio removível, revestida com plástico e dotada de um filtro e um exaustor bacteriológico com acessos para passagem dos cabos dos equipamentos e dutos para respiradores mecânicos. Desta forma, o paciente fica protegido ao mesmo tempo em que os profissionais do SAMU têm menos contato com as secreções do doente que poderiam contaminá-los.


Para o coordenador do Núcleo de Educação Permanente do SAMU Macro Norte, Ubiratam Correia, o equipamento diminui a carga viral dentro da ambulância. “Além dos protocolos de biossegurança que já utilizamos, será um dispositivo a mais para assegurar nossa integridade e dar segurança para o nosso colaborador”, conta.


Erlane Sandra Mota é engenheira biomédica e clínica (especialidade que lida com gestão de tecnologias de saúde) e atua no desenvolvimento do projeto. Em conversas com o coordenador do NEP, em que Ubiratam apontava a necessidade de um equipamento para transporte do paciente de coronavírus como via em outros países, Erlane foi juntando as informações com seus conhecimentos acadêmicos e profissionais, como uma concha de retalhos, e surgiu um primeiro protótipo de PVC.


Agora, existe um protótipo em tamanho real. O primeiro ensaio foi realizado nesta terça-feira, 28, mas vários testes ainda serão realizados uma vez que procedimentos como intubação e ventilação mecânica, por exemplo, ainda deverão ser avaliados.


Kely Cristina de Moura Lacerda, a diretora executiva do Cirsun, que é a entidade que administra o SAMU Macro Norte, vê com bons olhos que o trabalho desenvolvido pelos colaboradores da entidade ultrapassa a função específica de cada cargo e que a parceria está rendendo frutos que irão beneficiar não apenas a população do Norte de Minas, que é a área de atuação do SAMU Macro Norte, mas todo o país.

Por Jane Felix
Assessora de Comunicação
SAMU Macro Norte
Contato: (38) 9 9944-0311
ascom@cisrun.saude.mg.gov.br