Uma parceria entre o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas (Cisrun)/SAMU Macro Norte e a Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) possibilitou a capacitação de cerca de 250 pessoas entre acadêmicos, servidores da instituição e pessoas da comunidade, na tarde dessa quinta-feira (30), no campus-sede da Unimontes.

O treinamento foi realizado pelo Núcleo de Educação Permanente (NEP) do SAMU e teve como objetivo levar informações sobre primeiros socorros e ensinar a população à lidar em situações de emergência. Foram montados cenários onde os presentes puderam aprender técnicas de socorro através de simulação realística com bonecos que imitam a resistência do tórax e vias aéreas, além de desfibriladores.

“Nós já fazemos dentro do Projeto Unimontes Solidário alguns momentos de informações sobre primeiros socorros, mas não uma capacitação. A gente já vinha amadurecendo a ideia de fazer essa capacitação em parceria com o SAMU e essa ideia foi acelerada devido a um acadêmico nosso, do curso de medicina, ter tido um mal súbito em sala de aula. Graças a ter pessoas capacitadas no primeiro momento, foi possível o SAMU chegar, atender essa pessoa que foi encaminhada para o CTI e após três semanas esse aluno estar dentro de sala de aula sem nenhuma sequela”, disse Gilson José Fróes coordenador da Coordenadoria de Apoio ao Estudante sobre a importância de mais pessoas estarem preparadas para agir em situações determinantes para o salvamento de uma vida.

“Hoje nós estamos treinando a comunidade acadêmica e os colaboradores da instituição para identificar uma parada cardíaca, acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) o mais rápido possível e iniciar os procedimentos básicos e elementares para manter a pessoa viva, que é compressão e o emprego Desfibrilador Externo Automático (DEA). Aliado a essa capacitação de parada cardíaca, nós estamos oferecendo treinamento para identificar uma pessoa ou criança com obstrução de vias aéreas”, explica o coordenador do NEP, Ubiratam Lopes Correia, sobre as técnicas aplicadas durante o evento, como desengasgo.

Acadêmica do sétimo período do curso de Pedagogia, Kênia Xavier Gonçalves, contou que há sete meses perdeu a cunhada depois de sofrer duas paradas cardiorrespiratórias e falecer ao chegar ao hospital. A estudante acredita que saber identificar e realizar a reanimação cardiopulmonar é fundamental.  “Agora que eu entendi o que pode ter acontecido e causado o óbito dela. Então, é extremamente importante saber o que fazer em uma situação de emergência”, disse Kênia que acredita que se o irmão conhecesse os procedimentos poderia ter chamado o SAMU para poder fazer o atendimento e salvar a vida da cunhada.

A diretora executiva do Cisrun, Kely Cristina de Moura Lacerda, conta que o NEP capacita regularmente os profissionais do SAMU além de exercer outras atividades como já ocorreu quando aplicou provas de concursos públicos de unidades do SAMU de localidades. Para o presidente do Cisrun, Silvanei Batista dos Santos, o envolvimento da sociedade é fundamental para que o SAMU continue disponibilizando seu serviço de urgência e emergência gratuito com o padrão de qualidade que a população já conhece.

Deixe uma resposta