A equipe do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas (Cisrun)/SAMU Macro Norte que trabalhou direto e indiretamente no incêndio que deixou várias vítimas em Janaúba, no dia 05 de outubro, se reuniu na última semana, para um debriefing, termo técnico utilizado para as reuniões onde se reporta e analisa a execução de uma tarefa. A ação faz parte da filosofia da instituição que valoriza os servidores e que visa proporcionar condições adequadas aos profissionais.

O encontro aconteceu no Complexo Regulador do SAMU Macro Norte, em Montes Claros, e reuniu médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, condutores, coordenadores, a diretora executiva da instituição e uma psicóloga enviada pela Secretaria de Estado Saúde (SES). O coordenador médico do SAMU, Daniel Silva Ramos, iniciou a reunião abrindo espaço para os colegas falarem sobre a atuação dos profissionais na cena.

O coordenador do Núcleo de Educação Permanente, Ubiratam Lopes Correia, por sua vez, apresentou, através de slides, como foi o atendimento pré-hospitalar das vítimas, o suporte das ambulâncias do SAMU e aeronaves enviadas e destacou a contribuição que os equipamentos e os medicamentos que foram disponibilizados pelo próprio SAMU no atendimento das vítimas. O médico Antônio Cedrim, que foi um dos responsáveis pela triagem dos pacientes nos hospitais de Janaúba relembrou de alguns procedimentos que podem ser desenvolvidos para otimização do trabalho das equipes.

Em seguida, a referência técnica da Coordenação Estadual de Saúde Mental da SES, Janaína Dornas, falou que atuar em um evento como foi o incêndio da creche de Janaúba realmente é marcante e que os funcionários que trabalharam no atendimento das vítimas e enfatizou a importância do debriefing em catástrofes. “Eu acho fundamental vocês fazerem isso, sentar e falar da experiência vivida. Nós estamos criando vários protocolos que vão nos ajudar, caso venham acontecer outros tipos de tragédias”, disse. “Mas, tem uma coisa que ninguém pode tirar da gente e que não tem nenhum protocolo pronto: é a experiência!”, frisou.

Um culto ecumênico com a presença de uma pastora e um diácono ainda foi celebrado com o uma forma de oferecer conforto espiritual aos profissionais do SAMU. A diretora executiva do Cisrun, Kely Cristina de Moura Lacerda, parabenizou a equipe pelo empenho em prol das vítimas do ataque à creche. “Não perdemos nenhum paciente durante o atendimento pré-hospitalar. O primeiro atendimento é determinante para que os hospitais deem o suporte necessário para a assistência ao paciente”, lembrou.  O presidente do Consórcio, Silvanei Batista, se mostrou orgulhoso pelo trabalho desenvolvido pela instituição nesta situação e que foi fundamental para salvar vidas.

Por Jane Felix
Assessora de Comunicação
SAMU Macro Norte
Contato: (38) 9 9944-0311
ascom@cisrun.saude.mg.gov.br

Deixe uma resposta