Dados levantados pelo Setor de Estatística do SAMU Macro Norte mostram que, apenas em 2018, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência atendeu 1.033 vítimas de parada cardiorrespiratória (PCR), o que equivale a uma média de 86 casos por mês ou quase três atendimentos por dia. Assim, neste sábado, 24, estações de treinamento cardiopulmonar foram instaladas estrategicamente em três pontos de Montes Claros em um evento que recebeu o nome de Dia da Reanimação Cardiopulmonar.

Nos locais, foram criados circuitos onde instrutores do Núcleo de Educação Permanente do SAMU Macro Norte, médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem da instituição, além da Liga Acadêmica Norte Mineira de Urgência e Emergencia (Lanmue) deram orientações para a identificação de uma vítima em parada cardiorrespiratória, como realizar as compressões rítmicas e seriadas com o objetivo de garantir a oxigenação dos órgãos, o uso correto do desfibrilador, além da desobstrução das vias aéreas.

A advogada Talita Moran, que havia ido ao Mercado Municipal comprar flores acompanhada de sua filha Lavínia, de apenas quatro anos, se interessou pela ação e resolveu dedicar algum tempo para aprender algumas dicas importantes para o socorro de uma pessoa. “Acho importantíssimo porque, no caso dela (se referindo a sua filha), eu faria errado! Se ela engasgasse eu a viraria de costas… e não é de costas! Aprendi o ponto certo de se fazer a compressão. Ela também se interessou, então vai aprender e vai levar para a escola”, contou como a simulação utilizando bonecos realísticos específicos para treinamentos de profissionais chamou a atenção de sua filha.

“Temos um público extremamente diversificado aqui e é uma experiência fantástica porque percebemos o quão as pessoas estão interessadas em aprender essa arte de reanimação cardiopulmonar. Então, para nós, foi uma experiência completamente exitosa e, com certeza, nos próximos anos, estaremos aqui presentes”, disse o condenador do Núcleo de Educação Permanente, Ubiratam Lopes Correa após observar a heterogeneidade do público que compareceu aos três locais neste sábado.

“Se uma pessoa permanecer poucos minutos sem oxigênio, as células cerebrais morrem rapidamente, por isso a necessidade de iniciar a reanimação cardiopulmonar o mais rápido possível para que aumentem as chances de vida!”, explica a diretora executiva do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas (Cisrun), Kely Cristina de Moura Lacerda, a respeito da PCR, que é a interrupção da circulação sanguínea decorrente da suspensão súbita e inesperada dos batimentos cardíacos.

O presidente do Cisrun, Silvanei Batista Santos, lembra que o SAMU Macro Norte é o único SAMU que realiza o Dia da Reanimação Cardiopulmonar em Minas Gerais. “Já estamos na quinta edição, mas essa não é a única iniciativa que realizamos para levar conhecimento especializado de urgência e emergência até a população. A instituição realiza, em parceria com outras entidades, a Semana do Trânsito, o Maio Amarelo, o Congresso Norte Mineiro de Urgência e Emergência, além de simpósios e treinamentos”, conclui sobre uma atividade que já é rotina no SAMU do Norte de Minas

Por Jane Felix
Assessora de Comunicação
SAMU Macro Norte
Contato: (38) 9 9944-0311
ascom@cisrun.saude.mg.gov.br

Deixe uma resposta