As férias escolares tradicionalmente se iniciam em meados do mês de dezembro e muitas famílias aproveitam o período para pegar a estrada e viajar em busca de um local para descanso e entretenimento. Uma vez que o Norte de Minas é caminho que liga o sudeste ao nordeste, região que possui muitos atrativos turísticos, as rodovias norte mineiras recebem um alto fluxo de veículos pelas três principais rodovias federais que cortam a região, as BRs 251, 135 e 365. Com o aumento da concentração de veículos na região, o risco de acidentes aumenta consideravelmente.

No início de 2020, por exemplo, houve dois acidentes envolvendo múltiplas vítimas, sendo colisões entre ônibus e carreta, na BR-251, e van e carro, na LMG-135. Ao todo, os dois acidentes envolveram 60 pessoas, sendo quatro óbitos no local e vários feridos levados aos hospitais da região. Para o atendimento das ocorrências, o SAMU Macro Norte mobilizou quase dez Unidades de Suporte Avançado e Básico. “Como o tempo estava fechado e não era possível o helicóptero levantar voo, empenhados nossa equipe de médico e enfermeiro que estava de plantão no Suporte Aéreo Avançado de Vida (SAAV) também para a ocorrência”, disse a diretora executiva do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas (Cisrun), Kely Cristina de Moura Lacerda.

Em janeiro de 2019, o SAMU Macro Norte atendeu 61 vítimas apenas em acidentes que aconteceram nas três principais rodovias do Norte de Minas. A maior parte destes atendimentos (30) ocorreu na BR-135, seguida pela 365 (17) e pela 251 (14). Em 2018, o número de vítimas de acidentes ocorridos nestas rodovias havia sido 54% maior: 134. Destas vítimas, 87, se envolveram em acidentes na BR-251; 37, na 135; e 10, na BR-365.

Diante do alto índice de acidentes, nesta época do ano, alguns com múltiplas vítimas, a Regulação Médica e as equipes do SAMU Macro Norte estão sempre em alerta para novos chamados. Além disso, o serviço possui um time especializado que compõe o Sistema de Comando Operacional (SCO) para atuar em emergências e situações críticas coordenando e gerenciando o trabalho das equipes.

O presidente do Cisrun, Silvanei Batista Santos, sabe da responsabilidade que é oferecer um serviço de urgência e emergência em uma área de atuação tão extensa (são 122 mil km²) e que, nessa época do ano, o número de ocorrências sofre um aumento significativo, mas está seguro pois considera que o SAMU Macro Norte está preparado tanto do ponto de vista de equipamentos como pessoal qualificado.

Por Jane Felix
Assessora de Comunicação
SAMU Macro Norte
Contato: (38) 9 9944-0311
ascom@cisrun.saude.mg.gov.br