O dia 29 de outubro – Dia Mundial do Combate ao AVC – é marcado por uma iniciativa no mundo que tem como intuito reduzir de forma significativa o número de vítimas acometidas pelo acidente vascular cerebral. Apenas neste ano, o SAMU Macro Norte foi responsável por atender mais de 1.000 vítimas que sofreram AVC em sua área de abrangência, que contempla 86 municípios no Norte de Minas.

Um desses atendimentos foi o do senhor Evanilton Lima Santos, de 54 anos, que reside no município de Botumirim. Em setembro de 2020, a vítima havia acabado de sofrer um acidente vascular cerebral do tipo isquêmico. Este já era o segundo AVC que a vítima sofrera, tendo o primeiro ocorrido em 2018. Na ocasião, o senhor precisava ser transferido do Centro de Saúde de Botumirim para um hospital de Montes Claros o mais rápido possível, já que uma das particularidades da doença é que a intervenção médica rápida proporciona maior chance de vida e menos sequelas. Dessa forma, a vítima foi transferida pelo SAMU, através do Suporte Aéreo Avançado de Vida (SAAV), e em pouco tempo deu entrada na unidade hospitalar para iniciar o tratamento.

“Foi de suma importância o atendimento rápido e eficaz que a equipe do SAMU deu ao meu pai. Uma vez que moramos a 180 km de Montes Claros e para trazê-lo para o hospital demoraria muito tempo e, no caso de um AVC, tempo é vida. A equipe do aéreo fez um trabalho excelente, pois chegou a tempo do meu pai ser trombolisado e diminuir consideravelmente as chances de sequelas permanecentes”, disse Kedma Alessandra Lima Santos, filha de Evanilton. “A gratidão é imensa. Salvaram a vida do meu pai”, acrescentou.

O neurocirurgião do SAMU Macro Norte, Luís Carlos Santos Júnior, explica que existem dois tipos de acidente vascular cerebral: o isquêmico, responsável por 85% dos casos, que é causado pela obstrução de um vaso e o hemorrágico, que acontece quando um vaso se rompe e há extravasamento de sangue para o interior do cérebro. “A pessoa percebe que desenvolve uma fraqueza de um lado do corpo, alteração de voz, as vezes não consegue falar ou fala de uma forma esquisita, a boca fica um pouco torta”, cita o médico sobre algumas características motoras que a vítima pode apresentar durante um AVC. O neurocirurgião alertou ainda que a prevenção envolve em cuidados com a saúde, como o controle do diabetes, a prática regular de atividade física, controlar a pressão arterial, além de evitar hábitos indesejáveis como tabagismo.

Além de prestar socorro à vítimas que sofreram o acidente vascular, o SAMU Macro Norte também tem um papel fundamental quanto à capacitação de profissionais da saúde da região quanto ao manejo correto desses pacientes. “Graças a uma parceria entre o SAMU e o Rotary Internacional mais de cinco mil pessoas participaram do curso de ‘Implantação da Rede de Atendimento ao Acidente Vascular Cerebral no Norte de Minas – Abordagem e Condutas do AVC’”, destacou a diretora executiva do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas (Cisrun), Kely Cristina de Moura Lacerda.

Para o presidente do Cisrun, Silvanei Batista, a implantação do serviço aéreo, além da capacitação dos trabalhadores da saúde, não só dos funcionários do SAMU, também contribuem significativamente para um atendimento mais rápido e para o aumento das chances de vida dos pacientes acometidos por AVC.

Por Jane Felix
Assessora de Comunicação
SAMU Macro Norte
Contato: (38) 9 9944-0311
ascom@cisrun.saude.mg.gov.br