Na manhã desta sexta-feira (18), foi realizada a Assembleia Geral Ordinária do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência e Emergência do Norte de Minas (Cisrun)/SAMU Macro Norte. Na pauta da reunião, a eleição do Conselho Diretor e Conselho Fiscal do Cisrun, para o biênio 2019/2020 e a prestação de contas da entidade relativa ao ano de 2018, que, diga-se de passagem, foi aprovada por unanimidade pelos prefeitos dos municípios do Norte de Minas que fazem parte do Consórcio.

O contador do Cisrun, Ivan Fonseca de Oliveira, fez uma breve explanação a respeito das contas do órgão. Em 2018, foram arrecadados cerca de R$ 40,85 milhões com repasses da União, Estado e Municípios integrantes do Cisrun e apropriações do Imposto de Renda da Receita Federal, entre outras receitas; R$ 5,81 milhões, com consignações em folha e R$ 2,69 milhões que estavam como saldo nas contas ao fim de 2017. No total, foram arrecadados R$ 49,36 milhões.

As despesas, por sua vez, com folha de pessoal, despesas de custeio e material permanente, entre outras, foram da casa de R$ 37,17 milhões, que, somadas aos restos a pagar de R$ 4,17 milhões e consignações em folha de R$ 5,98 milhões, totalizaram despesas de R$ 47,32 milhões, o que gerou um saldo final de pouco mais de R$ 2 milhões.

A prestação de contas ainda trouxe os valores que deveriam ter sido repassados pela União, Governo de Minas e municípios que não se concretizaram (e que chegaram a um total de R$ 17,41 milhões) e que exigirão um esforço extra da gestão 2019/2020 do Cisrun. “Vamos conversar com as novas lideranças a nível estadual e federal e ver o que pode ser realizado para que o SAMU Macro Norte continue prestando o serviço de qualidade e gratuito pelo qual é conhecido em todo o Brasil”, conclui Silvanei Batista Santos, presidente eleito para o próximo biênio.

Por Jane Felix
Assessora de Comunicação
SAMU Macro Norte
Contato: (38) 9 9944-0311
ascom@cisrun.saude.mg.gov.br

Deixe uma resposta