O presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas (Cinsrun)/SAMU Macro Norte, Silvanei Batista Santos, juntamente com a diretora executiva Kely Cristina de Moura Lacerda, se reuniu com os coordenadores da instituição, na sede localizada no bairro Alto São João, em Montes Claros, para realizar um balanço das atividades do ano de 2017, nesta quarta-feira (27).

Foram apresentadas pela diretora as principais ações desenvolvidas, neste ano, com o objetivo avaliar os trabalhos executados. O Núcleo de Educação Permanente (NEP), por exemplo, realizou 419 atividades de ensino como cursos e treinamentos que contaram com a participação de mais de oito mil presentes, entre funcionários do SAMU, profissionais e estudantes da área da saúde. Também foram ministradas, por técnicos do NEP, palestras que foram assistidas por três mil pessoas, além de blitze educativas e campanhas. Durante a reunião ainda foram lembradas outras atividades desenvolvidas como o Projeto SAMU na Escola, Dia da Reanimação Cardiopulmonar e Rede AVC.

Outro destaque de 2017 foi a renovação de 55% da frota de ambulâncias do SAMU, permitindo uma redução importante nos gastos com manutenção dos veículos e combustível. Melhorias e intervenções como a mudança de imóveis e reforma de prédios foram realizadas em 22 das 36 bases descentralizadas do SAMU Macro Norte.

Neste ano, ainda foi possível reduzir o valor gasto com telefonia fixa (o custo mensal passou de R$ 7 mil para R$ 2,5mil). Já o gasto com telefonia celular, que ficava em aproximadamente R$ 8 mil mensais, atualmente, está em torno de R$ 2 mil.

A elaboração mensal de relatórios detalhados das despesas, seguindo o que estabelece a Lei de Responsabilidade Fiscal, além da elaboração e execução de planilhas para verificação de prioridades de pagamento, foram fundamentais para que o serviço continue funcionando com a qualidade que a população do Norte de Minas já conhece.

Em 2017, o trabalho do SAMU Macro Norte também teve grande destaque na mídia e nas redes sociais: foram cerca de 1.500 aparições com mídia espontânea (sem geração de custo para a instituição), mais de 50 entrevistas, ao vivo ou gravadas, em telejornais e programas de rádio, 150 releases e notas enviadas para a imprensa e postadas nas redes sociais e cerca de 200 notas com as ocorrências de destaque e números de atendimentos do dia.

As redes sociais também foram utilizadas para a divulgação do trabalho realizado e a transparência necessária com a administração pública. O site do Cisrun, por sua vez, teve mais de 150 publicações e 2.700 acessos. A Fanpage do Facebook, que tem 16.608 seguidores (cada seguidor recebe todas as publicações da página do SAMU), teve mais de 1.000 publicações, sendo que a mais vista contou com 64 mil visualizações. A página ainda recebeu cerca de 300 mil visitas de internautas sendo que 33 mil pessoas se envolveram de alguma forma com as publicações (curtindo, reagindo ou comentando).

No Setor de Recursos Humanos, foi detalhado o investimento financeiro com pessoal e a criação e implantação de tecnologias para facilitar o manuseio e acesso à folha de pagamento. Kely ainda lembrou da implantação do aeromédico, revisão de protocolos e reformulação das atuações em acidentes com múltiplas vítimas que está sendo executado pela Coordenação Médica. A Coordenação de Enfermagem, por sua vez, trabalhou mais próxima às bases descentralizadas desenvolvendo projetos de incentivo e valorização profissional.

Durante sua fala, a diretora executiva do Cisrun ainda destacou que o ano foi difícil, mas que com organização e dedicação foi possível realizar o pagamento dos salários dos funcionários sem atrasos e idealizar e implantar novos projetos. “Isso só foi possível graças à autonomia que o presidente nos deu para trabalhar”, salienta.

“Tive a oportunidade, nesses 10 meses (desde sua posse como presidente que se deu no mês de março), de acompanhar a renovação da frota… vou ter a oportunidade de receber o helicóptero, mas ainda acho que é pouco diante do que a gente pode fazer. Eu tenho como meta, ainda antes de entregar a presidência, de melhorar um pouco a remuneração, principalmente, da equipe do operacional”, revela Silvanei Batista. O presidente do Cisrun ainda aventou a possibilidade de conversar com o ministro da Saúde, mostrar a realidade da instituição para pleitear um aumento do valor do repasse federal para melhoria do salário dos funcionários.

“Hoje, nós temos credibilidade. Nós temos o respeito por parte da população. O próprio Governo de Minas entendeu a importância do Consórcio aqui no Norte de Minas. Graças a Deus eu só vi avanços desde quando entrei e eu não tenho dúvidas que nós avançaremos muito mais nesse ano de 2018”, conclui Silvanei Batista animado.

Deixe uma resposta